Psicologia

Dissertações de Mestrado

 

Autonomia comportamental das crianças antes de ingressarem na escola primária
Comportamentos de autonomia e perturbação emocional e comportamental

 

Autor: Filipa Sofia Gonçalves Silva
Orientador: Luísa Barros

 

Mestrado em Psicologia

Secção de Psicologia Clínica e da Saúde
Núcleo de Psicologia da Saúde e da Doença

Universidade de Lisboa
 

Se é autor de uma tese / dissertação de mestrado ou de doutoramento envie-nos para knoow.net@gmail.com e ajude-nos a enriquecer ainda mais o nosso site.

continuar

 

Autonomia comportamental das crianças antes de ingressarem na escola primária

Resumo

O objectivo deste estudo nasceu do reconhecimento do facto de professores e psicólogos clínicos e educacionais referirem que algumas crianças não estão preparadas para frequentarem a escolaridade devido a apresentarem várias lacunas a nível da sua maturidade comportamental ou autonomia. Desenhamos este estudo de modo a conhecer quais os indicadores de autonomia comportamental e a sua prevalência nas crianças que transitam para a escolaridade, e ainda conhecer qual a relação entre estes indicadores e a presença de perturbação comportamental e emocional. Sendo a autonomia conceptualmente definida como a capacidade de definir as suas próprias regras e limites, sem que estas precisem de ser impostas por outrem (Mogilka, 1999). Neste estudo participaram 45 indivíduos, com idades compreendidas entre os 5 e os 6 anos, que frequentavam os jardins-de-infância de Marvila. Utilizou-se o QAC (5 e os 7 anos) (Questionário de Autonomia Comportamental), que permitiu avaliar a autonomia comportamental das crianças. Utilizou-se ainda o SDQ (Questionário de Capacidades e Dificuldades (SDQ-Por) (Goodman, 1997), versão pais e professores (4-16 anos), para a avaliar a presença de perturbação comportamental e emocional. Os resultados deste estudo demonstraram que a maioria das crianças apresentou autonomia comportamental em todos os domínios avaliados (alimentação, sono, rotinas de higiene, controlo dos esfíncteres e capacidade de realização de tarefas) e não apresentou perturbação comportamental e emocional. Os resultados, permitiram ainda, identificar quais os comportamentos imaturos mais frequentes nessas idades, identificar as correlações estabelecidas entre as sub-escalas do SDQ, e constatar a concordância entre pais e professores acerca da avaliação da presença ou ausência das perturbações avaliadas. E, por fim, os resultados permitiram identificar um conjunto de indicadores de risco ao nível da autonomia que nos possibilitam compreend

 

Palavras chave: Psicologia do desenvolvimento, Autonomia, Educação pré-escolar, Teses de mestrado

 

Índice
INTRODUÇÃO

Características das Crianças com 5/6 Anos
Entrada no Primeiro Ano do Primeiro Ciclo

Desenvolvimento na fase pré-escolar

Desenvolvimento Cognitivo
Desenvolvimento Moral
Desenvolvimento Social
Desenvolvimento Emocional
Desenvolvimento da Autonomia

Desenvolvimento do Comportamento

Problemas de Comportamento

Atitude dos Pais e a Autonomia
Correlação entre as Avaliações dos Pais e as dos Professores

OBJECTIVOS

MÉTODO

Participantes:

Instrumentos de Avaliação

Informação e Consentimento:

Dados de Identificação:

Questionário de Capacidades e Dificuldades (SDQ - Strengths and Difficulties

Questionnaire

(Goodman, 1997)):

Questionário de Avaliação de Comportamentos de Autonomia (5 e os 7 anos):

Estudo Piloto do Questionário

Recolha de dados

Procedimentos Estatísticos:

ANÁLISE E TRATAMENTO DE DADOS

Resultados do Questionário de Comportamentos de Autonomia

Dados Relativos ao Questionário de Capacidades e Dificuldades

Correlação Pais-Professores, dos Valores do Questionários de Dificuldades e Capacidades

Correlação entre os valores dos itens de risco no Questionário de Comportamentos de Autonomia e os resultados do Questionário de Capacidades e Dificuldades

Comportamentos Imaturos e os valores do SDQ

ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

Resultados do Questionário de Comportamentos de AutonomiaResultados do Questionário de Capacidades e Dificuldades
Relação entre as Escalas do Questionário de Capacidades e Dificuldades
Relação entre as avaliações efectuadas pelos pais e as avaliações efectuadas pelas educadoras
Análise comparativa dos resultados do Questionário de Comportamentos de Autonomia e do Questionário de Capacidades e Dificuldades

Estudo da Correlação:

Estudo da Associação:

Ambas as Comparações:

Limitações do estudo

Implicações Clínicas

Sugestões para Futuras Investigações

CONCLUSÃO

BIBLIOGRAFIA

ANEXOS

 

 

Trabalho completo