Psicologia

Dissertações de Mestrado

 

A função paterna e o desenvolvimento infantil
Influência da gratificação parental e da presença versus ausência nos primórdios do auto-conceito da criança

 

Autor: Sofia Gonçalves Serôdio
Orientador: João Miranda Justo

 

Mestrado em Psicologia

Secção de Psicologia Clínica e da Saúde

Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica

Universidade de Lisboa
 

Se é autor de uma tese / dissertação de mestrado ou de doutoramento envie-nos para knoow.net@gmail.com e ajude-nos a enriquecer ainda mais o nosso site.

continuar

 

A função paterna e o desenvolvimento infantil

Resumo

No presente estudo, pretendemos analisar, em que medida, aspectos da paternidade como a gratificação parental denunciada na interacção precoce com a criança, bem como a presença vs ausência da figura paterna, poderão ter impacto ao nível do desenvolvimento da criança, mais especificamente no início da construção do seu auto-conceito. No trabalho participaram 39 crianças, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 4 e os 5 anos, bem como os respectivos pais. Para avaliar as diferentes dimensões que constituem o auto-conceito, utilizou-se a adaptação portuguesa da Escala de Auto-conceito para crianças em idade pré-escolar de Susan Harter (1984), e aos pais aplicou-se uma versão adaptada da Escala de Gratificação Parental desenvolvida por Berverly Fagot (1995). Os resultados foram sujeitos a uma análise diferencial e correlacional. As evidências apontam para a existência de uma forte associação entre a elevada gratificação parental e a presença paterna no núcleo familiar. Parece sobressair, ainda, uma forte ligação entre a aceitação que a criança sente por parte dos pares e a presença da figura paterna. Os dados sugerem, também, que essa dimensão de aceitabilidade social da criança se associa, em parte, a um maior nível de gratificação parental do pai. Numa análise complementar, encontrámos evidências que parecem indicar que a gratificação sentida pelo pai, nas actividades que remetem para a relação de cuidar, influencia positivamente a forma com a criança se auto-percepciona nas dimensões de aceitação de pares, de competência física e de competência cognitiva. As evidências empíricas encontradas revelaram-se pertinentes para, de alguma forma, aumentar a compreensão acerca da intervenção precoce da figura paterna nos primórdios da vida psíquica da criança. Mais especificamente, a gratificação que o pai retira da interacção com a criança, na relação de cuidar, parece ajudá-la na construção de um sentimento de Si mais positivo e seguro.

 

Palavras chave: Paternidade, Auto-conceito, Desenvolvimento infantil, Teses de mestrado - 2009

 

Índice

Resumo
Abstract

Nota Introdutória

1. Sobre a Função Paterna

1.1 Aspectos Evolutivos da Paternidade

1.2 A Importância da Função Paterna no Desenvolvimento da Criança: Perspectivas Várias
1.3 Presença vs Ausência do Pai no Quotidiano da Criança

2. Gratificação Parental: uma Medida de Responsividade Parental e de Suporte Parental Positivo

3. Sobre a Importância do Auto-conceito

3.1 Diferentes Compreensões Teóricas
3.2 O Olhar da Criança sobre Si Própria

4. Objectivos e hipóteses do Estudo

5. Método

5.1. Definição das variáveis

5.2 Operacionalização das variáveis

5.2.1 Questionário Sócio-Demográfico
5.2.2 Escala Pictórica de Auto-Conceito para Crianças em Idade Pré-Escolar 18
5.2.3 Escala de Gratificação Parental

5.3 Procedimento

6. Apresentação dos Resultados

6.1 Estatística Descritiva da Amostra

6.2 Testagem das Hipóteses

6.2.1 Testagem de H1
6.2.2 Testagem de H2
6.2.3 Testagem de H3
6.2.4 Testagem de H4
6.2.5 Testagem de H5
6.2.6 Testagem de H6

6.3 Análises Complementares

7. Discussão

8. Conclusão

9. Referências Bibliográficas

 

 

Trabalho completo