Psicologia

Dissertações de Mestrado

 

Impacto de uma interrupção espontânea da gravidez na vinculação pré-natal, numa gravidez seguinte

 

Autor: Ana Sofia Nóbrega Rodrigues
Orientador: João Justo

 

Mestrado em Psicologia

Secção de Psicologia Clínica e da Saúde
Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica

Universidade de Lisboa
 

Se é autor de uma tese / dissertação de mestrado ou de doutoramento envie-nos para knoow.net@gmail.com e ajude-nos a enriquecer ainda mais o nosso site.

continuar

 

Impacto de uma interrupção espontânea da gravidez na vinculação pré-natal, numa gravidez seguinte

Resumo

A presente dissertação aborda o tema da perda gestacional, procurando obter informações sobre o impacto desta numa gravidez seguinte. Frequentemente as experiências da gravidez e da maternidade são vivências positivas, que põem de parte um lado mais sombrio que estas experiências de vida podem vir a trazer. A perda de um bebé in útero está associada um vasto leque de sentimentos e emoções que vão assombrar a mulher a longo prazo. Quando uma mulher com história de interrupção espontânea da gravidez embarca numa gravidez seguinte tende a lidar com sentimentos contraditórios que podem vir a influenciar a vinculação ao novo bebé. Este estudo teve como objectivo comparar a Vinculação Pré-Natal a uma nova gravidez em mulheres grávidas sem história de interrupção espontânea da gravidez com mulheres, igualmente grávidas, que tenham sofrido pelo menos uma interrupção espontânea da gravidez. Com esta finalidade foi recolhida uma amostra de 114 mulheres das quais 52 com história de interrupção espontânea da gravidez e 62 sem história de interrupção espontânea da gravidez e foram utilizados dois instrumentos: o Questionário Sócio-Demográfico e o Questionário de Vinculação Pré-Natal (Condon, 1993). Esperava-se que a Vinculação Pré-Natal fosse mais baixa para as mulheres com história de interrupção espontânea da gravidez (hipótese 1). Os resultados, empiricamente obtidos, não apoiaram a hipótese deste estudo. Foram apontadas limitações e estudos futuros.

 

Palavras chave: Vinculação, Gravidez, Aborto espontâneo, Teses de mestrado - 2009

 

Índice 

INTRODUÇÃO

PARTE I – ENQUADRAMENTO TEÓRICO

CAPITULO 1 - GRAVIDEZ E MATERNIDADE

I.1.1 Gravidez e Aspectos Psicológicos

CAPITULO 2 - INTERRUPÇÃO ESPONTÂNEA DA GRAVIDEZ

I.2.1 Definição da problemática
I.2.2 Factores Psicológicos Envolvidos na Interrupção Espontânea da Gravidez
I.2.3 Sintomatologia pós Interrupção Espontânea da Gravidez
I.2.4 Gravidez após uma Interrupção Espontânea da Gravidez
I.2.5 Processo de Luto

CAPITULO 3 - VINCULAÇÃO

I.3.1 Definição e Operacionalização do conceito
I.3.2 Vinculação Pré-Natal
I.3.3 Vinculação Pré-Natal e Interrupção Espontânea da Gravidez -

PARTE II – ENQUADRAMENTO EMPÍRICO

CAPÍTULO 4 – METODOLOGIA

II.4.1 Definição do Problema e das Hipóteses
II.4.2 Definição e Operacionalização das Variáveis

II.4.2.1 Variável Independente e Variáveis Dependentes

II.4.3 Caracterização das amostras

II.4.3.1 Amostra 1

II.4.3.2 Amostra 2

II.4.4 Instrumentos
II.4.5 Procedimento

CAPÍTULO 5 – RESULTADOS

CAPÍTULO 6 – DISCUSSÃO

CAPÍTULO 7 – CONCLUSÕES E LIMITAÇÕES

Referências Bibliográficas

Anexos

 

 

Trabalho completo