Psicologia

Dissertações de Mestrado

 

Práticas de gestão de carreira, acolhimento e integração e empenhamento organizacional
Estudo de caso no sector de pós-venda automóvel

 

Autor: Carla Ascensão
Orientador: Manuel Rafael

 

Mestrado em Psicologia

Área de Especialização em Recursos Humanos

Universidade de Lisboa
 

Se é autor de uma tese / dissertação de mestrado ou de doutoramento envie-nos para knoow.net@gmail.com e ajude-nos a enriquecer ainda mais o nosso site.

continuar

 

Práticas de gestão de carreira, acolhimento e integração e empenhamento organizacional

Resumo

A presente investigação apresenta como tema central o estudo da relação entre as práticas de gestão de recursos humanos (especificamente a integração e acolhimento e a gestão de carreira) e o empenhamento organizacional, através de um estudo de caso no sector do pós-venda automóvel. Tendo como ponto de partida o modelo dos Três Componentes de Empenhamento Organizacional (Allen & Meyer, 1990a; Meyer & Allen, 1991), esta investigação pretende perceber de que forma as práticas de gestão de recursos humanos podem contribuir para a promoção de atitudes e comportamentos tendo em vista a competitividade organizacional. A metodologia de investigação consiste na aplicação do questionário de empenhamento organizacional de Meyer & Allen (1990a; 1991) adaptado para Portugal por Bruno, (2007), assim como a construção e aplicação dos questionários ao nível das práticas de gestão de recursos humanos (i.e. Integração e Acolhimento & Gestão de Carreiras) e de intenção de permanência, tendo por base a revisão de literatura realizada e o conhecimento da realidade subjacente à organização estudo de caso. Estes instrumentos foram aplicados a uma amostra de 31 adultos trabalhadores no sector do pós-venda automóvel. O estudo metrológico dos vários instrumentos revelou índices elevados de precisão e validade de medida. Os resultados revelam uma correlação positiva entre as práticas de gestão de carreira e o empenhamento afectivo e normativo e negativa com a intenção de turnover. Revelam ainda uma correlação negativa entre o empenhamento organizacional e afectivo com a intenção de turnover. Ao nível das práticas de integração e acolhimento, não se observam correlações significativas. Finalmente tecem-se algumas considerações sobre as implicações dos resultados ao nível da gestão estratégica de recursos humanos, bem como as limitações do estudo e sugestões futuras de investigação.

 

Palavras chave: Psicologia dos recursos humanos, Gestão da carreira, Sector automóvel - Portugal, Teses de mestrado - 2009

 

Índice 

Resumo/Abstract 
Agradecimentos
Introdução

PARTE I – FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O PAPEL DAS PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS NO EMPENHAMENTO ORGANIZACIONAL E INTENÇÃO DE PERMANÊNCIA

CAPÍTULO 1 – O PAPEL DA GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS NO CONTEXTO ACTUAL

CAPÍTULO 2 – ACOLHIMENTO E INTEGRAÇÃO ORGANIZACIONAL

2.1. O Conceito de Socialização Organizacional
2.2. As práticas de Socialização Organizacional
2.3. As fases do processo de socialização
2.4. Socialização Organizacional: A influência das variáveis pessoais

CAPÍTULO 3 – GESTÃO DE CARREIRAS

3.1. O Construto da Gestão de Carreiras
3.2. Gestão de Carreira: Uma responsabilidade do indivíduo ou da organização?
3.3. As várias práticas de gestão de carreira
3.4. O papel das práticas de gestão de carreira no empenhamento organizacional

CAPÍTULO 4 – EMPENHAMENTO ORGANIZACIONAL

4.1. O papel do empenhamento organizacional no contexto actual
4.2. Definição do construto de empenhamento organizacional: As Diferentes Abordagens Teóricas
4.3. Modelo dos três componentes de Allen & Meyer
4.4. Operacionalização do Modelo dos três componentes de Allen & Meyer

4.5. Empenhamento Organizacional: Um Construto Multidimensional
4.6. Variáveis antecedentes de empenhamento organizacional

4.6.1. Variáveis antecedentes de empenhamento afectivo
4.6.2. Variáveis antecedentes de empenhamento continuidade
4.6.3. Variáveis antecedentes de empenhamento de normativo

4.7. As principais consequências do empenhamento organizacional

4.7. 1. Empenhamento Organizacional e Intenção de Permanência
4.7.2. Empenhamento Organizacional e Desempenho

PARTE II – ESTUDO EXPERIMENTAL

CAPÍTULO 5– INSTRUMENTOS DE MEDIDA E ENSAIO EXPERIMENTAL

5.1. Ficha de Registo de Dados
5.2. Questionário das práticas de Integração e Acolhimento
5.3. Questionário de Empenhamento Organizacional

5.3.1. Questionário de Empenhamento Organizacional (versão original Meyer &Allen, 1990)

5.3.2. Questionário de Empenhamento Organizacional (versão revista)
5.3.3. Adaptação portuguesa e resultados do estudo piloto

5.4. Questionário das práticas de Gestão de Carreiras
5.5. Questionário de Intenção de Permanência

CAPÍTULO 6– PLANO EXPERIMENTAL E CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA

6.1. Plano Experimental e Universo de observação
6.2. Caracterização da Amostra
6.3. Condições de Aplicação e Recolha de Resultados

CAPÍTULO 7 – ANÁLISE E DISCUSSÃO DE RESULTADOS

7.1. Integração e Acolhimento

7.1.1. Características Metrológicas do Questionário de Integração e Acolhimento
7.1.2. Intercorrelação entre itens

7.2. Gestão de Carreira

7.2.1. Características Metrológicas do Questionário de Gestão de Carreiras
7.2.2. Intercorrelação entre itens

7.3. Intenção de Permanência

7.3.1. Características Metrológicas do Questionário de Intenção de Permanência

7.4. Empenhamento Organizacional

7.4.1. Características Metrológicas do Questionário de Empenhamento Organizacional

7.5. Diferenças integrupais das variáveis em estudo
7.6. Correlação das variáveis em estudo

CONCLUSÕES

BIBLIOGRAFIA
ÍNDICE DE QUADROS
 

 

Trabalho completo