Psicologia

Dissertações de Mestrado

 

Relação conjugal no pós-parto
Diferenças de género

 

Autor: Mónica Sofia do Couto Antunes
Orientador: João Manuel Rosado de Miranda Justo

 

Mestrado em Psicologia

Área de Especialização Mulher e Saúde

Universidade de Lisboa
 

Se é autor de uma tese / dissertação de mestrado ou de doutoramento envie-nos para knoow.net@gmail.com e ajude-nos a enriquecer ainda mais o nosso site.

continuar

 

Relação conjugal no pós-parto

Resumo

A presente dissertação aborda o tema da adaptação à parentalidade, procurando obter informações sobre a forma como homens e mulheres reagem de forma distinta neste período de crise. O nascimento de um filho no seio de um casal ou família modifica radicalmente os equilíbrios anteriores - este processo de mudança exige um tempo de reajustamento, durante o qual o recém-nascido toma o seu espaço e se redefinem as relações entre os restantes membros. A forma como os homens e as mulheres vivenciam e se adaptam a esta transição parece diferir. Neste contexto, foi objectivo do estudo empírico comparar homens e mulheres na adaptação ao período pós-parto, em termos de relacionamentos conjugal e sexual, bem como na adaptação à parentalidade. Como tal, foram utilizadas diversos questionários: o Questionário Sócio-Demográfico, a Escala de Avaliação da Satisfação em Áreas da Vida Conjugal, a Maternal Adjustment and Maternal Attitudes Inventory, a Paternal Adjustment and Paternal Attitudes Inventory, o Índice de Satisfação Sexual e o Modelo em Comboio. Por fim, os resultados são apresentados e obtidos à luz da contextualização teórica.

 

Palavras chave: Satisfação conjugal, Parentalidade, Género, Apoio social, Teses de mestrado

 

Índice

RESUMO

ABSTRACT

CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO 

CAPÍTULO 2 – CONTEXTUALIZAÇÃO TEÓRICA

2.1 - RELACIONAMENTO CONJUGAL

2.1.1 – ESTATÍSTICAS DA CONJUGALIDADE E DA FECUNDIDADE 

2.1.2 – DEFININDO CONJUGALIDADE
2.1.3 – TEORIAS PSICOLÓGICAS DA CONJUGALIDADE 
2.1.4 – RELAÇÃO CONJUGAL E DIFERENÇAS DE GÉNERO
2.1.5 – INGREDIENTES ESSENCIAIS NUMA RELAÇÃO
2.1.6 – SATISFAÇÃO CONJUGAL E PRESSUPOSTOS PARA UM CASAMENTO SAUDÁVEL

2.2 – TRANSIÇÃO PARA A PARENTALIDADE

2.2.1 – DEFININDO TRANSIÇÃO, PARENTALIDADE E RESPECTIVOS PRESSUPOSTOS

2.2.2 - PERSPECTIVAS TEÓRICAS DA TRANSIÇÃO PARA A PARENTALIDADE

2.2.2.1 – Teoria da vinculação
2.2.2.2 – Perspectiva ecológica
2.2.2.3 – Perspectiva desenvolvimentista
2.2.2.4 – Stress e mudança

2.2.3 – QUALIDADE E SATISFAÇÃO CONJUGAL NA TRANSIÇÃO PARA A PARENTALIDADE

2.2.4 – DIFERENÇAS DE GÉNERO NA TRANSIÇÃO PARA A PARENTALIDADE

2.2.4.1 – Maternidade

2.2.4.2 – O Pai em mudança

2.2.5 – ADAPTAÇÃO AO NASCIMENTO DE UM PRIMEIRO FILHO VS OUTROS FILHOS

2.2.6 – TAREFAS DA PARENTALIDADE
2.2.7 – REORGANIZAÇÃO FAMILIAR
2.2.8 – APOIO SOCIAL E ADAPTAÇÃO À PARENTALIDADE

2.2.8.1 - Definição de apoio social e seus mecanismos de acção 
2.2.8.2 - Funções do apoio social na transição para a parentalidade
2.2.8.3 - O apoio social e a qualidade das relações na transição para a parentalidade

2.2.8.4 – O modelo de apoio social em comboio

2.3 – SEXUALIDADE NO PÓS-PARTO

2.3.1 – FISIOLOGIA DA SEXUALIDADE APÓS O PARTO
2.3.2 – A LÍBIDO E A FREQUÊNCIA SEXUAL NO PÓS-PARTO
2.3.3 – SATISFAÇÃO SEXUAL, ORGASMO E DIFICULDADES SEXUAIS
2.3.4 – DESDE O RETOMAR DA SEXUALIDADE ATÉ À NORMALIDADE

CAPÍTULO 3 – METODOLOGIA

3.1 – PROBLEMA A INVESTIGAR
3.2 – HIPÓTESES
3.3 – DEFINIÇÃO DAS VARIÁVEIS
3.4 – OPERACIONALIZAÇÃO DAS VARIÁVEIS 
3.5 – PROCEDIMENTO
3.6 – POPULAÇÃO
3.7 – AMOSTRA

CAPÍTULO 4 – TESTAGEM DAS HIPÓTESES E RESULTADOS

4.1 - ESTATÍSTICA DESCRITIVA

4.1.1 - QUESTIONÁRIO SÓCIO-DEMOGRÁFICO (Mulheres)
4.1.2 - QUESTIONÁRIO SÓCIO-DEMOGRÁFICO (Homens)

4.1.3 - ESTATUTO SÓCIO-ECONÓMICO

4.2 - ANÁLISE DE CONSISTÊNCIA INTERNA DAS ESCALAS UTILIZADAS 99

4.2.1 - ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO EM ÁREAS DA VIDA CONJUGAL (EASAVIC)

4.2.1.1 - EASAVIC – Mulher
4.2.1.2 - EASAVIC – Homem

4.2.2 - ESCALA MATERNAL ADJUSTMENT AND MATERNAL ATTITUDES INVENTORY (MAMA)
4.2.3 - ESCALA PATERNAL ADJUSTMENT AND PATERNAL ATTITUDES
INVENTORY (PAPA)

4.2.4 - ÍNDICE DE SATISFAÇÃO SEXUAL (ISS) – MULHER

4.2.5 - ÍNDICE DE SATISFAÇÃO SEXUAL (ISS) – HOMEM

4.3 - ESCALAS UTILIZADAS

4.3.1 - ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO EM ÁREAS DA VIDA CONJUGAL (EASAVIC) – MULHER
4.3.2 - ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO EM ÁREAS DA VIDA
CONJUGAL (EASAVIC) – HOMEM
4.3.3 - MATERNAL ADJUSTMENT AND MATERNAL ATTITUDES INVENTORY (MAMA)

4.3.4. PATERNAL ADJUSTMENT AND PATERNAL ATTITUDES INVENTORY (PAPA) 4.3.5 - ÍNDICE DE SATISFAÇÃO SEXUAL (ISS) – MULHER
4.3.6 - ÍNDICE DE SATISFAÇÃO SEXUAL (ISS) – HOMEM
4.3.7 - MODELO EM COMBOIO - CONVOY MODEL - REDES DE APOIO SOCIAL – MULHER
4.3.8 - MODELO EM COMBOIO - CONVOY MODEL - REDES DE APOIO SOCIAL – HOMEM
4.3.9 - MODELO EM COMBOIO - CONVOY MODEL - REDES DE APOIO
SOCIAL – ANÁLISE POR NOME INDICADO

4.4 - ESTATÍSTICA DESCRITIVA PARA AS ESCALAS

4.4.1 - ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO EM ÁREAS DA VIDA CONJUGAL (EASAVIC)

4.4.1.1 – Mulher
4.4.1.2 – Homem

4.4.2 - ESCALA MATERNAL ADJUSTMENT AND MATERNAL ATTITUDES INVENTORY (MAMA)
4.4.3 - ESCALA PATERNAL ADJUSTMENT AND PATERNAL ATTITUDES INVENTORY (PAPA)

4.4.4 - ÍNDICE DE SATISFAÇÃO SEXUAL (ISS)

4.4.5 - MODELO EM COMBOIO - CONVOY MODEL - REDES DE APOIO SOCIAL

4.5 – TESTAGEM DAS HIPÓTESES

4.5.1 - HIPÓTESE 1
4.5.2 - HIPÓTESE 2
4.5.3 - HIPÓTESE 3
4.5.4 - HIPÓTESE 4

4.5.4.1 – Idade
4.5.4.2 - Estatuto sócio-económico
4.5.4.3 - Tempo de relacionamento conjugal
4.5.4.4 - Status marital
4.5.4.5 - Status sexual anterior ao nascimento do filho
4.5.4.6 - Planeamento da gravidez
4.5.4.7 - Tempo após o parto

CAPÍTULO 5 – DISCUSSÃO

5-1 – DISCUSSÃO DE RESULTADOS

CAPÍTULO 6 – CONCLUSÕES

6.1 - CONCLUSÕES E REFLEXÕES DO ESTUDO

BIBLIOGRAFIA
 

 

Capa

Indices_resumos

Tese

Anexos