Psicologia

Dissertações de Mestrado

 

O sorriso do cliente em terapia
Um estudo exploratório sobre a resposta não verbal do cliente à pergunta-milagre usada na terapia breve orientada para as soluções

 

Autor: Catarina Geraldes de Melo Vasconcelos
Orientador: Helena Águeda Marujo

 

Mestrado em Psicologia

Secção de Psicologia Clínica e da Saúde

Núcleo de Psicoterapia Cognitiva-Comportamental e Integrativa

Universidade de Lisboa
 

Se é autor de uma tese / dissertação de mestrado ou de doutoramento envie-nos para knoow.net@gmail.com e ajude-nos a enriquecer ainda mais o nosso site.

continuar

 

O sorriso do cliente em terapia

Resumo

Em Psicoterapia, a análise do comportamento comunicacional do cliente e do terapeuta é particularmente valiosa para a monitorização e compreensão das flutuações nos estados psicológicos do cliente, características do processo de mudança. A comunicação não verbal do cliente, nesse contexto interpessoal, contribui de todas as formas para dar significado aquilo que ele experiencia no momento. Este estudo micro-analisou momentos de vídeos de sessões terapêuticas da Terapia Breve Orientada para as Soluções, em que se formula a pergunta milagre. Dada a observação prévia de casos clínicos em que o fenómeno do sorriso acompanhou o momento de formulação desta pergunta, surgiu a necessidade de explorar, através de análises descritivas dos discursos verbais do terapeuta e do cliente e dos sorrisos identificados, se este comportamento não verbal aparecia a acompanhar a pergunta milagre. Pretendeu-se explorar que significados esses sorrisos poderiam ter, sugerindo-se hipóteses acerca do impacto desta pergunta-tipo nos clientes. Usou-se a classificação de tipos de sorrisos de Freitas-Magalhães, a qual diferencia entre sorriso fechado, sorriso superior e sorriso largo. Da análise dos discursos, destacaram-se formas diferentes de fazer a pergunta, tendo-se através de uma análise de conteúdo, criado categorias distintas de acordo com as diferentes formulações. Fez-se a análise de um primeiro momento, referente à reacção espontânea e imediata do cliente à pergunta, e de um segundo momento, em que se analisou o sorriso exibido durante a elaboração da resposta concreta. Os resultados mostram que o sorriso aparece, na quase totalidade dos casos, como resposta não verbal à pergunta milagre. Parecem existir diferentes reacções imediatas de acordo com o tipo de formulação da pergunta, sendo que a maioria dos sorrisos manifestados acompanha o processo, ou uma introdução ao processo de imaginação de eventos positivos. Especulou-se acerca do significado dos sorrisos: uns podem sugerir satisfação e prazer imediato associado à imaginação de eventos positivos, outros podem indicar espanto, dado a natureza inesperada do evento milagre , outros ainda podem sugerir ironia ou diversão como reacção imediata ao convite à imaginação da ocorrência de algo difícil de conceber. Conclui-se quanto à necessidade de se aprofundar a análise do comportamento do sorriso em contexto terapêutico, recorrendo ao uso de metodologias rigorosas de análise da expressão facial, assim como à utilidade de se continuar a analisar detalhadamente a comunicação terapêutica no contexto dos processos clínicos.

 

Palavras chave: Terapias breves, Comunicação não verbal, Sorriso, Teses de mestrado - 2009

 

Índice

INTRODUÇÃO

PARTE I - ENQUADRAMENTO TEÓRICO

CAPÍTULO 1 – A COMUNICAÇÃO HUMANA

1.1. O que é Comunicar?

1.1.1. A Comunicação não verbal

1.1.1.1. O que o rosto nos pode revelar

CAPÍTULO 2 – O SORRISO

2.1. Contributos para a definição de sorriso

2.2. Um sorriso ou vários sorrisos2.2.1. Tipos de sorrisos e possíveis significados

CAPÍTULO 3 – A COMUNICAÇÃO NO CONTEXTO TERAPÊUTICO

3.1. A Comunicação como ferramenta de trabalho do terapeuta

3.1.2. Como o cliente pode receber a informação comunicada pelo terapeuta

3.2. A importância da comunicação não verbal dos clientes em terapia

3.2.1. Estudos empíricos sobre o sorriso dos clientes em terapia

3.2.1.1. Sorriso em terapia e emoção positiva

CAPÍTULO 4 – TERAPIA BREVE ORIENTADA PARA AS SOLUÇÕES

4.1. Características da Terapia Breve Orientada para as Soluções
4.2. A Pergunta Milagre

4.2.1. Origem da pergunta milagre
4.2.2. Utilidade da pergunta milagre
4.2.3. Estudos sobre a reacção dos clientes à pergunta milagre e reformulações da pergunta

CAPÍTULO 5 – OBJECTIVOS DO ESTUDO

ANEXOS

ANEXO A – Imagens representativas do sorriso posado e do sorriso de Duchenne
ANEXO B – Análise descritiva dos discursos verbais e análise de frequências dos casos em que houve manifestação de sorrisos pelos clientes

PARTE II – ESTUDO EXPLORATÓRIO

1. METODOLOGIA

1.1. Tipo de estudo

1.2. Amostra

1.3. Metodologias de recolha de dados

1.3.1. Observação directa
1.3.2. Micro-análise da comunicação

1.4. Procedimentos de recolha de dados

2. RESULTADOS

2.1. Procedimentos de análise dos dados…

2.2. Análise dos resultados

2.2.1. Resultados da análise do 1º momento – “Reacção imediata à formulação
da pergunta milagre”

2.2.2. Resultados da análise do 2º momento – “Elaboração da resposta”

3. DISCUSSÃO

3.1. Interpretação da manifestação do sorriso durante a formulação da pergunta milagre, sem discriminação dos tipos de sorrisos

3.2. Interpretação de manifestação de diferentes tipos de sorriso durante a
formulação da pergunta milagre

4. CONCLUSÃO

5. LIMITAÇÕES, SUGESTÕES E IMPLICAÇÕES OU COMPLEMENTOS PARA FUTUROS ESTUDOS

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANEXO C – Análise de conteúdo das perguntas milagre e análise de frequências das

categorias
ANEXO D – Análise descritiva das respostas imediatas verbais e não verbais (sorrisos) às categorias das perguntas no 1º momento
ANEXO E – Análise descritiva dos tipos de sorrisos manifestados por cada caso no 1º momento de acordo com as categorias presentes na pergunta
ANEXO F – Análise descritiva dos discursos e dos tipos de sorrisos no 2º momento
ANEXO G (CD-ROM) – Registos descritivos das observações

 

 

Trabalho completo